Celso Álvarez Cáccamo  • Linguística Geral • Depto. de Galego-Português, Francês e Linguística Faculdade de FilologiaUniversidade da Corunha • 15071 Corunha • Galiza • Tel. +34 981 167000 ext. 1888 • Fax +34 981 167151 • lxalvarz@udc.es
 << ] Início | Home ]


Início | Home
Informação profissional
Professional Information
Publicações | Publications
Desde a Margem
Vários | Miscellaneous
Audiovisual
Gaveta | Drawer

Revista Çopyright

Documentos escritos
e audiovisuais sobre
a língua em
Versão Original

Xosé María
Álvarez Blázquez

 

Algumas amostras de fenómenos fonéticos, léxicos e morfológicos nas falas galegas

Estas gravações de alguns fenómenos nas falas galegas são fruto dum desses intermináveis debates na Internet, onde alguém questionava com teimosa agressividade a existência de certos fenómenos "portugueses" nas falas galegas.    Este pequeno documento mostra exemplares de possível, meio, também, uma e até camião (com ditongo).  Para escutá-las, precisa-se o reprodutor gratuíto RealPlayer: http://www.real.com, acho que polo menos na sua versão 7. Para preservar a qualidade, os fragmentos foram comprimidos a uma resolução alta (64 - 80 Kbps), que não suporta o reproduzi-las em tempo real ou "streaming" por modem. Por isto, os arquivos devem ser baixados antes ao computador. Experimente com o botão direito ou esquerdo do seu rato para transferi-los. Recomenda-se o uso de auriculares.

(19 Novembro 2000: Acrescentam-se os arquivos WAV de alguns casos.)

(21 Dezembro 2000: Acrescentam-se versões em reprodução lenta (2x) de alguns segmentos, em formato WAV e volume maximizado).

Por limitações da linguagem HTML, as transcrições estão algo simplificadas. O til de nasalidade aparece antes do segmento se este é [i, e, u, w]. O [r] representa o batimento de hora, não a vibrante de ferro. Outras convenções: [A] = vogal central quase aberta não arredondada ("a" invertido). [E] = vogal anterior semi-aberta não arredondada ("e aberto"). [L] = consoante aproximante lateral palatal ("lh"). [S] = consoante fricativa pré-palatal não vozeada ("x" de "caixa").

  1. Realização com ditongo nasal de camião [ka'miã~w]. Mulher, de "um pueblo de Caldas". Rádio Galega, programa de chamadas de ouvintes com motivo dos terramotos de Triacastela, 22 Maio 1997.

    camião (93,5 Kb)

  2. Realização de possível [po'sißel]. Mulher (M.A.C.F.), duns 50 anos, de Ortigueira. TVG, "Galeguidade", 5 Março 2000. A mulher refere-se a um seu filho e a sua família, que trabalha na Suíça.

    possível (148 Kb) - possível, arquivo WAV (342 Kb; segmento mais curto)
    >> REPRODUÇÃO LENTA: (o) mais antes possível que me

  1. No mesmo fragmento, repare-se também na realização do elemento nasal final de "puideram" e "vinheram", nos dous casos sem consoante, e em "puideram", com um elemento semiconsonântico [ã~w] (apreza-se mais claramente no arquivo WAV):

    puideram (15,7 Kb) - puideram, arquivo WAV (120 Kb)
    vinheram (15,7 Kb)

  2. Realização de televisões [teleßi'sojs] ?  Homem (X.F.), duns 50 anos, Ourense? - TVG, "A Chave", debate "O cinema e a TV", 20 Junho 1997.

    televisões (46,3 Kb) - televisões, arquivo WAV (383 Kb)

  3. Realização nasalizada de muita ['m~ujta]. Mulher, anciã, de Candeã (Vigo). Recolhido em 1984 (fita cedida por MCF; data e nome da falante desconhecidos). A mulher fala dos acontecimentos da Guerra Civil e pós-guerra. Ver também muita2 (embaixo).

    muita (60 Kb)

  4. Realização nasalizada e sem semiconsoante de muita (muta = ['m~uta]). Mesma falante.

    muita2 (30,4 Kb)

  5. Realização do artigo as como [nas] após clara pausa. Mesma falante.

    nas (45,2 Kb)

  6. Realização de meio ['mejo]. Mesma falante. A mulher está a falar do que figeram "os falanghistas" a um "chaval" da zona que "era um pouquinho summarnal (=subnormal) que nõ era listo" a quem "lhe atoparam um papel no bursilho". Imediatamente depois a mesma falante (A) repete em voz mais baixa "(xx xx) romperom um bracinho polo meio" (linhas 76-78):

    meio.gif (7250 bytes)

    meio (30,4 Kb) - meio, arquivo WAV (173 Kb)
    >> REPRODUÇÃO LENTA: e romperom-lhe um braço polo meio - após o [j] de ['mejo] há um artefacto sonoro da gravação.

  7. Realização de vogal átona reduzida trinta ['tr~i(n)tA]. Mesma falante.

    trinta (45,2 Kb)

  8. Realização com a oclusiva [b] em também [tÃb~E]. Mesma falante. Contraste-se com caso seguinte, também2. A variação com/sem oclusiva mostra a presença, no lexicon da falante, da forma fonológica plena com /b/, /ta<nasal>'bE<nasal>/, que sofre na fala reduções típicas do galego-português. Este caso com [b] dá-se no começo do grupo fónico "Também era", com dição algo mais enfática. Para contextualizar, inclui-se a fala anterior doutra participante, que se dirige a um rapaz pequeno.

    também (45,2 Kb) - também, arquivo WAV (388 Kb)
    >> REPRODUÇÃO LENTA: bueno pero teu pai era do tempo de que som eu tam(b)ém // també(m) era // e ti aora s-

  9. Realização de ditongo nasal final em também [tAmã~j]. Mesma falante.

    também2 (45,2 Kb) - também2, arquivo WAV (334 Kb)
    >> REPRODUÇÃO LENTA:

  10. Realização reduzida (vogal central quase-alta não arredondada [A]) de vogais átonas /a/ em trabalhar [trAßA'Lar]. Mesma falante.

    trabalhar (30,4 Kb)

  11. Realização sem semiconsoante e com queda de núcleo vocálico em graças ['hrasS] (com palatalização de sibilante final). Mesma falante. A queda da vogal explica-se se a forma fonológica no lexicon da falante contém só a vogal /'hrasas/ graças, não /'hrasjas/ *grácias (contraste-se com a rareza de formas reduzidas como *[a'kasS] por acácias ou [eS'pesS] por espécias).

    graças (30,4 Kb) - graças, arquivo WAV (182 Kb)
    >> REPRODUÇÃO LENTA: pero ghrass a deu(h) fum vivindo

  12. Realização de uma com segmento consonântico [m] ['uma]. Mesma falante.

    uma (45,2 Kb) - uma, arquivo WAV (325 Kb)
    >> REPRODUÇÃO LENTA: e onde havia o- a madeira que tinha polilha / ali dentro havia uma chínchara

  13. Realização proparoxítona de páxaros ['paSaros]. Mulher de mediana idade, Candeã, Vigo. Recolhido em 1984.  (fita cedida por MCF; data e nome da falante desconhecidos). A mulher fala da sua neneza.

    páxaros (30,4 Kb)


Para comentários, escreva a lxalvarz@udc.es. Página web: http://www.udc.es/dep/lx/cac. Última alteração: 19-06-2007.


Última alteração: 19-06-2007

 << ] Início | Home ]